Category: gestão

Cultura empresarial: o que faz e como se constrói

A cultura empresarial pode ser definida como o resultado de uma mistura equilibrada de psicologia organizacional, atitudes, acções e crenças que, quando combinadas, definem não só o ambiente geral de uma empresa, como também a sua capacidade (teórica) de atingir os objectivos propostos. 

A cultura de uma empresa não pode ser comprada ou fabricada. Tem de ser criada, e mantida, por todos os elementos da organização, exigindo tempo, dedicação e esforço; o retorno deste investimento raramente é imediato mas, regra geral, dá à empresa acesso a uma série de benefícios: Continuar a ler

Anúncios

5 coisas que um sistema de gestão não faz por si

Todos os sistemas de gestão pessoal e produtividade nascem da necessidade de melhoria e da ambição de atingirmos o nosso potencial máximo. No entanto, existem algumas coisas que não podem ser melhoradas ou modificadas por eles:

  1. Auto-disciplina: existe uma diferença entre ser organizado e disciplinado. Podemos ter o melhor sistema de gestão pessoal mas isso não faz qualquer diferença no momento em que temos de escolher fazer o que o sistema nos indica ou ter em conta todas as opções que pedem a nossa atenção num dado momento.
  2. Desordem de Défice de Atenção: uma doença dos tempos modernos, em qualquer sistema de gestão manifesta-se pela impossibilidade de realizar uma tarefa no tempo disponibilizado e, normalmente, a sua execução arrasta-se porque houve a interferência de distracções. Continuar a ler

importância, urgência e prioridade

Leia em voz alta as seguintes definições:

Importância: uma actividade é importante quando o seu resultado contribui para a realização dos nossos objectivos.

Urgência: uma actividade urgente requer atenção imediata, normalmente está associada aos objectivos de outra pessoa e encontra-se condicionada em termos de tempo para execução e finalização.

Prioridade: podemos estabelecer a prioridade de uma actividade combinando a sua importância e grau de urgência, e avaliando o seu impacto na realização dos objectivos propostos, de modo a que tudo o que seja importante se torne prioritário, mesmo que não seja urgente.

Recite-as como se fossem um mantra, acolha-as como se fossem oxigénio, partilhe-as com todos os que o/a rodeiam. Saiba que compreender o conceito de importância, urgência e prioridade é o primeiro passo para se tornar dono/a e senhor/a da sua lista de tarefas.

ARTIGOS RELACIONADOS:

{Dúvidas? Sugestões? Fiquem à vontade para se fazerem ouvir nos comentários!}

apoio ao cliente

Quando uma empresa disponibiliza os seus contactos, espera-se que esteja disponível para dar resposta às necessidades dos clientes, actuais ou potenciais. Espera-se que atenda o telefone, durante o horário de funcionamento, e que responda aos emails enviados, no prazo de um ou dois dias (ou em menos tempo, dependendo da urgência do assunto a tratar). Várias vezes tenho ouvido “se tivesse ligado tinha sido mais rápido”. Compreendo. Em determinadas situações, prefiro a chamada, noutras enviar um email, quando me interessa ou convém manter o registo da conversação.

Preferências à parte, se o seu cliente se queixa que demora muito tempo a devolver uma chamada ou responder a um email, avalie cuidadosamente os meios de contacto que disponibiliza e se está a tirar partido deles para construir uma relação duradoura, ou se apenas estão a servir para evidenciar falta de capacidade da sua parte. Ofereça apenas aquilo que sabe fazer bem.

ARTIGOS RELACIONADOS:

{Dúvidas? Sugestões? Fiquem à vontade para se fazerem ouvir nos comentários!}

rede de segurança

Tempo, dinheiro e pessoas. Três variáveis sem as quais um negócio não pode prosperar. De todas elas, a variável pessoas continua a ser a mais importante e, em muitos casos, a mais negligenciada. São as pessoas que compram e vendem coisas e, no final, tudo se resume a cuidar da confiança que os clientes têm em nós, respeitar colaboradores, clientes e fornecedores e, ainda, fomentar parcerias vantajosas que permitam a uma empresa crescer mais do que alguma vez esperaria, caso o fizesse sem esse apoio. Não espere pelos tempos difíceis para criar relações duradouras com as pessoas pois, quando mais precisar, elas poderão não estar lá. 

ARTIGOS RELACIONADOS:

{Dúvidas? Sugestões? Fiquem à vontade para se fazerem ouvir nos comentários!}

10 coisas que o bom gestor deve saber

  1. Nunca parar de aprender como ser melhor gestor e pessoa.
  2. Se pode ser delegado deve ser delegado, mesmo que demore mais tempo.
  3. Arriscar, e levar a equipa a fazer o mesmo.
  4. Perguntar em vez de mandar, quando quer algo feito.
  5. Ser grato pelas pequenas coisas…e também pelas grandes coisas.
  6. Marcar o mínimo de reuniões, para ter o máximo de tempo disponível para fazer o trabalho que realmente interessa.
  7. Utilizar a palavra ‘surpresa’ apenas para as festas de aniversário.
  8. Focar nos pontos fortes e não nas fraquezas.
  9. Admitir os seus erros. Porque vai errar muitas vezes.
  10. Ter sempre presente que o todo é mais importante que A equipa é mais importante que o eu.

{Dúvidas? Sugestões? Fiquem à vontade para se fazerem ouvir nos comentários!}